Congresso mundial debate avanços no tratamento de Alzheimer, Parkinson e outras doenças neurogenerativas  

Em Porto Alegre, os especialistas também avaliarão a influência das novas tecnologias nas mudanças de comportamento, emoção e percepção.

Um encontro nada convencional de neurociência que combina harmoniosamente o conhecimento científico e o lúdico. Assim é definido pelos seus idealizadores o World Congress on Brain, Behavior and Emotions. De 14 a 17 de junho, em Porto Alegre, a 14ª edição do evento reunirá mais de 130 palestrantes do Brasil e de outros países como Inglaterra, Estados Unidos, Canadá, Argentina e Suíça, além de um público estimado em mais de 5 mil pessoas de todos os continentes.

Segundo o professor de neurologia da PUC do Rio Grande do Sul e co-presidente do congresso, Jaderson Costa, o objetivo é debater as opiniões de especialistas referenciais em diversas disciplinas, as boas práticas clínicas e os resultados de pesquisas globais que buscam compreender melhor o cérebro, os comportamentos e as emoções.

“Esse é um congresso que se projeta para o futuro, no contexto do rápido avanço tecnológico e sua influência marcante no cérebro humano, sobretudo dos jovens”, comenta Dr. Costa. “Queremos criar um ambiente interativo para ensinar, surpreender e emocionar”, completa.

“O Brain Congress é uma experiência científica e cultural. Permite a compreensão dos temas por meio de ideias criativas, métodos inovadores e pontos de vista distintos em cada disciplina. Por isso, os debates reúnem especialistas como neurologistas, psiquiatras, psicanalistas, geriatras, psicólogos, fonoaudiólogos, cientistas sociais, filósofos, ficcionistas, juristas e jornalistas.

COMPORTAMENTO – A programação abre espaço para a neurociência do cotidiano e questões comportamentais como amor, paixão, traição, escolha, ética, moral, convicção política e suas motivações. A sexóloga e psiquiatra Carmita Abdo fará uma palestra bem-humorada sobre a influência da era digital nas relações amorosas. Sua abordagem será inspirada no livro “Romance Moderno”, escrito pelo ator e comediante Aziz Ansari e pelo sociólogo Eric Klinenberg, da Universidade de Nova Iorque, resultado de uma pesquisa que eles conduziram por dois anos nos Estados Unidos e em outros países em busca de explicações científicas para as mudanças na maneira como as pessoas se relacionam afetivamente a partir da consagração das redes sociais e dos apps de relacionamento.

Outros destaques são as investigações de biomarcadores para doenças neurodegenerativas de difícil controle como Parkinson e Alzheimer. O neurologista norte-americano Howard Federoff explicará o exame de sangue que ajuda a diagnosticar os riscos para essas enfermidades incapacitantes. Já o canadense Antony Lang abordará o conjunto de pesquisas que apontam os neuro-hormônios intestinais como ponto de origem para o desenvolvimento das doenças.

“Os especialistas analisarão evidências científicas e casos clínicos com envelhecimento cerebral; degenerações e lesões cerebrais; dependência de entorpecentes; esclerose múltipla, epilepsia, autismo, depressão, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), bipolaridade, esquizofrenia, entre outros transtornos e doenças de ordem neurológica”, informa o professor de neurologia da USP e co-presidente do congresso, Ricardo Nitrini.

Também serão avaliados temas bastante singulares, tais como: terapias cognitivas; explicação científica para a percepção do tempo pelo cérebro e para a cronobiologia (relógio interno); como a plasticidade das sinapses interfere na leitura e no aprendizado; influência da realidade virtual e dos jogos eletrônicos na juventude; avaliação da memória em crianças e adolescentes; relação entre educação, nutrição, cognição, emoções e memória; mapeamento cerebral e neuroimagens; relação entre nutrição e comportamento violento.

MIA COUTO – A conferência magna do Brain Congress 2017 será proferida pelo escritor Mia Couto, um dos mais notáveis e produtivos da língua portuguesa. Autor de mais de 30 livros de prosa e poesia, o também biólogo e ativista ecológico volta ao Brasil para mostrar sua vertente cientista e explicar como a neurociência pode ajudar a repensar o ser humano. Para o escritor moçambicano, escrever é buscar a felicidade, uma forma de inventar histórias para tratar um mundo doente.

Um dos grandes méritos desse congresso é trabalhar a multidisciplinaridade e transversalidade. “As questões ligadas ao cérebro não são propriedade de uma única área de conhecimento. Os participantes e palestrantes chegam ao evento com aprendizados bem distintos e voltam aos seus locais de origem com uma visão mais ampla e diversificada dos temas debatidos, o que traz um efeito importante para a sociedade”, observa Dr. Jaderson Costa.

 

Serviço

14th World Congress on Brain, Behavior and Emotions

De 14 a 17 de junho de 2017

Porto Alegre, FIERGS

Programação científica http://www.brain2017.com/programacao/index.php#topo

Blog para a imprensa

https://brainwcbbe.wordpress.com/

 

Assessoria de imprensa

Ponto C Comunicação Estratégica

Carlos Alessandro Silva – carlos.relgov@gmail.com / 11 98293-4224

Andrea Guardabassi – andrea.guardabassi@gmail.com / 11 98989-0359

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: